CitrusBR
Associados
Biblioteca
Estatísticas
O Setor
Laranja e Suco
Consumo
Sustentabilidade
Saúde
Imprensa
Técnico
Contato

Setor Envie para um amigoImprimir
 

Produção de de Laranja e Suco



O Brasil é o maior produtor de laranjas no mundo, com aproximadamente 25% da produção mundial - estimada em 47.010 mil toneladas - seguido por EUA, China, Índia, México, Egito e Espanha. Estes 7 países produzem 68% de toda a laranja disponível, embora utilizem suas produções de maneiras diferentes.

 

 

Enquanto Brasil e Estados Unidos utilizam mais de 70% das laranjas que produzem para a fabricação de sucos, México e China, em sua maioria, vendem as frutas para o consumo in natura. Na Espanha, mais da metade das laranjas têm como destino a exportação. A principal característica que influi no destino da produção citrícola é o rendimento da fruta, que vai determinar se as laranjas possuem a quantidade de sólidos solúveis adequada para o uso industrial.

 

Na safra 2009/10, 86% de toda a laranja no Brasil foi utilizada pela indústria, sendo que 15% foram utilizadas na produção de NFC e 85% na produção de FCOJ. Comparada com a safra 1995/96, a proporção de frutas processadas cresceu em 10%, confirmando a "vocação" da citricultura brasileira para a produção de suco.

 

Por isso, na produção de suco de laranja o destaque brasileiro é ainda maior. Apenas na região de São Paulo e Triângulo Mineiro, conhecida como Citrus Belt, o Brasil produz 53% de todo o suco de laranja produzido no mundo. Além disso, somos responsáveis por 85% da exportação mundial de suco de laranja, o que significa, na prática, que a grande maioria do suco de laranja tomado em todo o mundo é feito no Brasil.

 

Produção em Números

 

 

Em um período de 20 anos, o Cinturão Citrícola Brasileiro aumentou sua produção de caixas de laranja em mais de 45%, enquanto sua concorrente, a região da Flórida, teve sua produção reduzida em 9%. A diferença na produção de suco de laranja é ainda maior: enquanto a fabricação de suco brasileiro cresceu 55%, o suco americano caiu 11%. O que explica tais mudanças ao longo desses anos é, não apenas os fatores climáticos, que acabaram prejudicando a Flórida, mas também o investimento brasileiro em pesquisa e tecnologia e o aumento do adensamento em nossos pomares, que acabaram por tornar a nossa produção mais competitiva.

 

 

Untitled Document
 
 
     
 
     
 
 

Rua Iguatemi, 448 - sala 701 - São Paulo/SP | Fone/fax: (11) 2769-1205 | citrusbr@citrusbr.com                                   Copyright 2009 CitrusBR - Todos os direitos reservados.